Aprendendo com a Disney a arte do Storytelling

Vingadores: Guerra Infinita estreou no último mês nos cinemas do Brasil, e o que se viu foi uma enxurrada de espectadores para as salas de todo o país.

Mas não pense que foi à toa que o final de semana de estreia do filme bateu recordes por todo o mundo (incluindo o Brasil, onde foram arrecadados mais de 19 milhões de dólares). Além de um perfeito trabalho de marketing feito pelo estúdio ao longo dos anos (sim, anos!), a Marvel e a Disney possuem um currículo impecável sobre a arte do Storytelling.

Mas, afinal, o que é Storytelling?

Storytelling é uma ferramenta de marketing que, infelizmente, não é tão utilizada quanto deveria. Porém, a força dessa ferramenta é imensa, já que seu objetivo é fazer com que seu público se identifique com a história contada.

O Storytelling consiste em contar uma história para seu público. Dessa forma, ele se sente mais próximo de sua marca, produto ou serviço ao se identificar com dores e situações que façam parte da narrativa contada.

Podemos dizer que essa ferramenta tem por objetivo cativar seu público, persuadindo-o de maneira indireta ao fazê-lo sentir-se como parte da história. Porém, para que isso aconteça da maneira mais assertiva possível, é necessário que sua persona esteja muito bem alinhada com a realidade de sua clínica. Afinal, será sua persona quem irá nortear não somente sua campanha de Storytelling, mas também qualquer outra campanha de Marketing Digital que você porventura faça.

Como funciona o Storytelling

Para que o Storytelling seja, realmente, um Storytelling, é preciso que você

  • conte uma história (com início, meio e fim) que
  • envolva personagens (fictícios ou não) e que
  • tenha diálogos reais e um
  • conflito a ser resolvido (e que deve, necessariamente, ser resolvido até o fim da narrativa).

Ao unir todas essas ferramentas, você terá um Storytelling em suas mãos!

Você pode estar se perguntando: “espere aí, história, personagens, diálogos, conflitos… Isso é uma história comum, como qualquer outra!”.

E você está certíssimo!

O Storytelling tem como base a narrativa mas, para que seja um Storytelling como ferramenta de marketing, é necessário que você insira na narrativa elementos que evoquem seus produtos, serviços, marca, consultório ou especialidade (principalmente como resolução de conflitos) e também – mais importante ainda! – que a narrativa seja inserida no mundo da sua persona.

Isso quer dizer que essa narrativa deverá ter conflitos, diálogos e história que possam ser sentidas “na pele” pelo seu público ideal. Ele deve se sentir emocionalmente atingido por essa história.

E é aí que entram os grandes mestres do Storytelling: a Disney e a Marvel!

Disney e Storytelling: uma união incrível e duradoura

Não há ninguém nesse mundo que já não tenha assistido a alguma obra da Disney. Seja filme, desenho, seriado, não importa, todos nós já fomos, de alguma maneira, impactados por alguma de suas obras.

Porém, não basta ter assistido a algum de seus materiais sem ter lembrança, sem ter sentido algum tipo de apelo emocional durante a sessão. E essa é que é a principal ferramenta da Disney. Ela nos faz sofrer, chorar, sorrir e comemorar com seus protagonistas. E isso não é mero acaso. Por trás de cada obra há um estudo muito aprofundado de tendências de mercado e de comportamento do consumidor.

Pixar, uma fábrica de Storytelling

Quem nunca se emocionou com o menino Kevin, em Up! Altas aventuras? Ou mesmo com as grandes aventuras de Woody e seu fiel companheiro Buzz, de Toy Story?

Não há trabalho na Pixar que não seja baseado em práticas de Storytelling – e essa é a principal razão de qualquer de suas obras ser tão bem vista aos olhos de público e de crítica.

E não é pra menos! Podemos perceber isso em seus números de prêmios:

  • 19 Oscars
  • 8 Globos de Ouro
  • 11 Grammy Awards
  • Além de diversas outras premiações conquistadas!

Para te situar um pouco sobre essa empresa, a Pixar (Pixar Animation Studios) é um estúdio de animação que, após anos tendo com sua principal atividade o fornecimento de hardware e software para animação, fechou um contrato com a Disney para a produção de Toy Story. A Disney, por fim, adquiriu a empresa em 2006, tornando Steve Jobs seu principal acionista individual e o resto, como dizem, é lenda.

O Storytelling sempre esteve bastante enraizado em todas as produções feitas pela Pixar desde então, tanto que a Emma Coats, então Artista de Histórias da Pixar, publicou, em sua conta no Twitter, as 22 regras de Storytelling da Pixar:

  • Você admira um personagem mais pelas suas tentativas do que pelos seus acertos
  • Você deve ter em mente o que é interessante para você como público, e não como escritor. São duas coisas que podem ser muito diferentes.
  • O tema é muito importante, mas você não vai saber como é sua história até que a tenha finalizado. Agora reescreva.
  • […]
  • Em que seu personagem é bom ou está confortável? Desafie-o e descubra como ele lida com isso.
  • […]
  • Descarte a primeira coisa que vier à sua mente. E também a segunda, terceira, quarta, quinta… Tire o óbvio da sua frente, surpreenda-se!

(Para conferir todas as 22 regras, você pode acessar o texto na íntegra aqui.)

Essas são ótimas dicas a se seguir, e uma boa maneira de começar a colocar essas ideias em prática é começando a estruturar o plano de marketing de sua clínica. É daí que deve partir qualquer ação relacionada ao marketing digital!

Marvel e seus Vingadores em sua Guerra Infinita

A Marvel, assim como a Disney, já é “velha de guerra”. Ambas estão há décadas no mercado e sabem muito bem como atingir seu público da maneira correta.

Desde seus quadrinhos até suas mega produções cinematográficas, a Marvel sempre soube como balancear suas histórias, dando um toque de humanidade a cada um de seus heróis, de forma que o público se identificasse com cada um deles.

Podemos perceber isso na fraqueza de cada um deles, em suas histórias de amor, em suas tentativas e fracassos, em seus laços de amizade, e em muitas outras características.

O importante aqui é percebermos como, assim como a Disney e a Pixar fazem, nada é por acaso. Sempre há um motivo para que cada personagem aja de determinada forma.

Para qualquer pessoa que você fizer a pergunta “qual seu super-herói favorito?”, você terá uma resposta diferente. E, por esse mesmo motivo, cada herói enfrenta diferentes tipos de vilões, tem diferentes conflitos internos (ou externos) e tem determinados tipos de amizade. É o público quem dita tudo isso.

E, da mesma forma, é o público da sua clínica que deverá seguir de exemplo para sua próxima campanha de Storytelling – ou melhor, para qualquer campanha de Marketing Digital que será feita.

Todo sucesso de bilheteria que o novo filme da Disney/Marvel obteve não foi mero acaso. Foram anos de trabalho envolvendo, principalmente, o Marketing. Quem não quer ver o destino de seu herói favorito? O Storytelling é uma técnica bastante persuasiva, que trabalha o emocional das pessoas. E, quando a emoção está envolvida, o cérebro também está.

O Storytelling e o cérebro

Uma narrativa bem construída afeta o cérebro das pessoas de diferentes maneiras, e uma delas é por meio do acoplamento neural. Esse processo ativa algumas partes do cérebro, fazendo com que quem está assistindo ou ouvindo à sua história transforme-a em ideias e experiências próprias.

Além disso, graças a essa capacidade, as pessoas estarão muito mais suscetíveis a curtir, comentar e compartilhar seu conteúdo, uma vez que se identificarão com a história contada.

Outra ação que o Storytelling tem sobre o cérebro é a liberação de dopamina no sistema neurológico. Isso acontece devido a algum evento emocional que a pessoa esteja presenciando. Assim, a pessoa se lembrará desse evento com muito facilidade (devido à emoção presente) e, consequentemente, também se lembrará de você, dos seus serviços e do seu consultório. Histórias são 22 vezes mais memoráveis do que imagens ou fatos isolados.

Então, por onde começar a praticar o Storytelling

Como eu disse anteriormente, essa é uma ferramenta do Marketing. Por isso, quando trabalhada em conjunto com algumas outras, inclusive de Marketing Digital, seu resultado pode ser muito mais positivo.

Então é importante que, caso você não tenha expertise com construção de personas ou de campanhas interdisciplinares de Marketing, sugiro que busque ajuda de especialistas da área, que poderão te auxiliar imensamente durante todo o processo – além da possibilidade de se tornarem parceiros.

Ah! Quase ia me esquecendo de te avisar. A Pixar possui um curso (gratuito!) de Storytelling que é ministrado pelos próprios criadores do estúdio. Caso você tenha interesse, posso te dar mais informações sobre esse curso. É só deixar seu comentário aqui abaixo!

E então, vamos contar uma história?

Publicitário, especialista em Inbound Marketing e Produção de Conteúdo, integrante do time da Agência Gip.

Se misturar um bocado de números, um punhado de textos, alguns jogos de tabuleiros, três xícaras de café e uma playlist do Spotify e bater tudo num liquidificador, sou eu!

Marketing Digital: o que sua clínica pode aprender com a Netflix

Recentemente, a Netflix (sim, ela é uma menina) anunciou que 85% de todo seu gasto durante esse ano de 2018 será direcionado para produção de conteúdo original. Ou seja, cerca de US$6,8 bilhões de seu orçamento anual será utilizado em produção de filmes e séries originais Netflix.

Outra notícia que tivemos dessa empresa, que já não é tão recente, foi o cancelamento de algumas séries originais, em especial a Sense 8, que tinham alguma base de fãs.

Tomando essas duas notícias como base, podemos aprender bastante com essa gigante do entretenimento. E isso é válido para qualquer empresa ou pessoa que invista no Marketing Digital como captação de novos clientes – incluindo sua clínica

O que é Marketing Digital

O Marketing Digital é um dos termos que mais estão na moda ultimamente. Mas será que, realmente, você sabe tudo o que essa expressão implica?

Ao pensarmos analiticamente, o Marketing Digital é uma expressão genérica, utilizada para se referir a qualquer tipo de esforço de marketing feito no ambiente digital – ou seja, online.

Dessa forma, podemos dizer que Marketing Digital pode ser:

  • trabalhos de SEO feitos para você aparecer em buscas no Google,
  • postagens em mídias sociais,
  • envio de email marketing para sua base de clientes, ou
  • utilização de um site – institucional ou não.

E ainda existem muitas, mas muitas outras possibilidades além dessas.

Como vimos, o objetivo do Marketing Digital é fazer com que seu público-alvo, ou seja, aquele que irá até sua clínica ou consultório, te encontre na internet

Porém – e esse é um ponto muito importante! –, para que você saiba que seus esforços estão sendo válidos e bem direcionados, é preciso que seja feita uma mensuração constante dos resultados oriundos das ações de Marketing Digital. Sem essa mensuração, você não poderá saber se está no caminho certo, ou, pior, se está jogando dinheiro fora com ações erradas, mal formuladas e que não cheguem ao público certo.

Pode ficar tranquilo, que nós voltaremos a esse tópico mais tarde.

E o que a Netflix e você têm a ver com isso?

Quando a Netflix faz anúncios desse tipo (cancelamento de séries ou informar que “quase” todo seu orçamento será destinado a produções originais), ela não faz isso sem embasamento. Ela faz isso porque vê que é o que vai trazer mais receita (ou menos prejuízo).

A mensuração de resultados aqui tem um papel crucial. Primeiramente, o cancelamento da série Sense 8 se deu pelo motivo de que a base de novas assinaturas, quando comparadas com certas datas-chave da série, não estava compensando seu custo – que era imensamente alto!

(Algum tempo depois, a empresa anunciou um último episódio para a série, devido à grande quantidade de pedidos de todas as partes do mundo – mas isso não foi sem antes analisar quais resultados poderiam vir dessa solução.)

Além disso, essa semana a Netflix anunciou que 85% de seu orçamento esse ano será destinado a produções originais. Essa decisão foi tomada após uma análise de seus resultados do último ano, onde constatou-se que grande parte de suas novas assinaturas eram feitas para que seu público assista a essas produções – cerca de 90% de sua base consomem esse conteúdo com certa frequência.

“Mas e eu, onde entro nisso?”

Acho que você pode concordar comigo quando digo que a Netflix é um dos grandes fenômenos da atualidade. Não há quem não conheça, e sua base de assinaturas não para de crescer, além de suas ações aumentarem cerca de 60% ao ano.

Para que ela chegasse aonde chegou foi preciso trabalhar bastante com a mensuração de resultados, que é exatamente o que você deve fazer!

A mensuração de resultados das campanhas digitais da sua clínica é o que te norteará em seus próximos passos. Afinal, como saber o que fazer a seguir se você não sabe o que ganhou (ou perdeu) em sua última empreitada?

Como é feita a mensuração de resultados

No Marketing Digital são muitas as possibilidades de ação. Mas, juntamente com elas, surgem toneladas de dados passíveis de se analisar – o que torna humanamente impossível analisar tudo isso – além de não ser necessário.

Você deve saber o que analisar. Estabeleça metas e, com base nelas, analise métricas que dirão se você está indo na direção certa.

Por onde começar

Primeiramente, você deve ter em mente o objetivo da campanha de Marketing Digital do seu consultório ou clínica. Será aumentar a visibilidade de sua marca no ambiente digital? Será conseguir mais clientes? Anunciar um lançamento? São muitos os objetivos possíveis.

E, para cada um desses possíveis objetivos, haverão números – ou, nesse caso, métricas. E será o conjunto dessas métricas que te dirão se sua campanha está sendo bem sucedida. Esse conjunto de métricas pertinentes para sua mensuração é o denominado KPI (sigla para Key Performance Indicator, ou seja Indicador-chave de Performance). Cada conjunto de métricas mais relevantes para o seu negócio ou campanha será um diferente KPI.

Como descobrir as métricas que você precisa medir

Vamos supor que seu objetivo seja o de conseguir 100 novos clientes.

Logo, você deverá investir numa campanha de Marketing Digital para conseguir mais leads (para se inteirar mais sobre leads, acesse o artigo que escrevemos sobre eles!). Se passou uma semana que a campanha está no ar e você já conseguiu 500 leads! Isso é bom, não é? A verdade é que não tem como saber somente com esse número.

Como expliquei anteriormente, a mensuração de resultados deve ser feita com base em um conjunto de métricas. No caso da aquisição de novos clientes, precisaríamos saber pelo menos a média de leads que se torna verdadeiramente um cliente.

Nova suposição: sabemos que a cada 10 leads, um se converte em cliente. Agora sim temos dados o suficiente para medir o sucesso da campanha.

Como conseguimos 500 leads, e a taxa de conversão é de 10% (1 para cada 10), isso quer dizer em uma semana foram 50 possíveis novos clientes. Sua campanha vai muito bem, inclusive.

Essa é a mensuração de resultados!

Com que frequência devo medir?

O acompanhamento deve ser diário. Afinal, uma das grandes vantagens do Marketing Digital é a de você conseguir se adaptar rapidamente a qualquer cenário.

Dessa forma, caso alguma campanha de sua clínica não esteja tendo o resultado esperado, ficando muito aquém de suas expectativas, com a mensuração de resultados você poderá verificar o que não está saindo bem e adaptá-la de acordo com suas necessidades.

Voltando à Netflix

Então, como você pode ver, a Netflix é um ótimo exemplo a ser seguido. Eles atuam somente em ambiente digital – logo, a mensuração de seus resultados é obrigatória, e deve ser feita para que sejam aplicadas mudanças.

Por isso eles sabem exatamente onde investir a maior parte de seu orçamento: eles sabem de onde vem a maior parte de sua receita – e isso só é possível se você medir o que está fazendo.

Para muitos a mensuração de resultados pode ser uma tarefa complicada. Afinal, é necessário que se tenha certa especialização em áreas do Marketing dependendo daquilo que se deseja medir. Para casos como esse, é essencial a contratação de uma agência ou mesmo de um profissional qualificado, que saberá te ajudar não somente com a medição de seus resultados, mas também com campanhas bem estruturadas.

Caso tenha ficado alguma dúvida, entre em contato e vamos conversar!

Publicitário, especialista em Inbound Marketing e Produção de Conteúdo, integrante do time da Agência Gip.

Se misturar um bocado de números, um punhado de textos, alguns jogos de tabuleiros, três xícaras de café e uma playlist do Spotify e bater tudo num liquidificador, sou eu!