Marketing Pessoal para profissionais de saúde: 5 dicas para aplicar em seu Instagram

Conhecido como Personal Branding, pode até parecer um pouco complexo entender o que é o Marketing Pessoal. No entanto, ele nada mais é do que um conjunto de estratégias de comunicação que têm como premissa a frase: “quem não é visto, não é lembrado”. Ou seja, de forma planejada, trata-se do trabalho comunicacional para atribuir valor à sua imagem pessoal como profissional de saúde.  

Nele, a marca a ser trabalhada será sua própria imagem e, para isso, elaboram-se uma série de ações que terão como objetivo principal te consolidar em meio aos seus concorrentes, agregando valor ao seu trabalho.

Existem várias formas de se aplicar o Marketing Pessoal e, dentre elas, a mais comum é por meio das redes sociais. Devido ao aumento no consumo de conteúdo nessa mídia, canais como Facebook e Instagram se tornaram a verdadeira “menina dos olhos” para quem sabe e quer aplicar as estratégias de forma correta.

Quer saber como colocá-lo em prática? Nós te ajudamos!

Como fazer Marketing Pessoal nas redes sociais?

Para profissionais da área de saúde, é notável o uso do Instagram como a rede social para trabalhar o Marketing Pessoal. Isso porque a plataforma é mais visual e dinâmica do que o Facebook e, geralmente, conta com um público mais jovem e mais propenso ao engajamento.

Ainda está achando muito complexo? Calma! Listamos 05 dicas bem simples, mas capazes de dar o start que você precisa para sua imagem pessoal, confira:

Vamos aplicar o Personal Branding no seu Instagram?

Dica #1: Crie uma conta comercial

O Instagram disponibiliza alguns recursos para contas de negócios que permitem estimular a tomada de ação de seus seguidores — botões para entrar em contato no perfil e o “veja mais” no stories, por exemplo — e mensurar informações que identifiquem quais postagem geram os melhores resultados para suas estratégias.

O que? Sua conta ainda não é comercial? 😮 Então vamos lá!

Adequar a esse recurso é bem simples:

  • Acesse sua conta no Instagram e, na tela inicial, clique em “Perfil”.
  • Em “Perfil”, selecione o ícone de opções, no canto superior direito e, na parte inferior, clique em “Configurações”.
  • Em seguida, clique em “Mudar para conta comercial”.
  • Você será redirecionado para as telas de criação de conta comercial. Clique em “Criar uma nova conta” e preencha as informações solicitadas.
  • Pronto! A partir de agora você poderá acompanhar as métricas de todas suas postagens \o/.

Caso depois você não queira manter o perfil comercial, sem problemas, basta acessar as configurações e reverter para conta pessoal.

Dica #2: Demonstre seu conhecimento em sua especialidade

Um dos maiores alicerces para o trabalhar sua marca pessoal é a autoridade. Nela, é extremamente importante que você mostre que domina muito bem sobre a sua especialidade com conteúdos que informem sobre o assunto, faça análises, registre suas participações em congressos, etc.

Mas, lembre-se, é preciso respeitar as limitações do seu conselho e fugir de conteúdos sensacionalistas.

Aproveite sua audiência para conscientizar e informá-los sobre assuntos relacionados ao seu segmento.

Dica #3: Estimule o engajamento de seus seguidores

Para trabalhar o marketing pessoal corretamente, é preciso criar um relacionamento com seus seguidores. Responder dúvidas, mostrar os bastidores e o dia a dia da clínica, questionar sobre determinado assunto relacionado aos seus serviços, pedir opiniões, fazer enquetes, etc. são formas eficazes de estimular o engajamento e de se aproximar de seu público.

No Instagram, o stories é o seu maior aliado para esse engajamento. Criar enquetes, disponibilizar o “perguntas” e postar com frequência o dia a dia, mostrando até mesmo pacientes — com o consentimento deles, claro — são formas simples que você pode colocar em prática ainda hoje!

Mas, cuidado! Não exceda em conteúdo com o mesmo tema como, por exemplo, vídeos ou imagens com a estrutura da sua clínica ou consultório. Precisamos compreender que a cada dia que passa, as redes sociais estão ficando mais saturadas de conteúdo e, se repetitivo, o seu perfil pode ser silenciado ou não bem recebido pela sua audiência.

Dica #4: Cuide da sua imagem

Se exceder com sua exposição pessoal pode ser bem negativo. Isso porque, ao trabalhar com serviços de saúde, é preciso reforçar alguns atributos que são tidos como valores para estimular a sua credibilidade e confiabilidade com seus pacientes.

Evite aparecer com trajes inapropriados ou publicar situações muito pessoais e que possam ser vistas como controversas ou polêmicas — sabemos que, como qualquer pessoa comum, você possui momentos de descontração, mas isso pode ser visto de forma negativa por seus potenciais clientes.

Imagine, por exemplo, um médico responsável por reeducação alimentar postar, com frequência, o consumo de alimentos gordurosos. Isso seria um pouco estranho para o que ele defende aos seus pacientes, não é mesmo?!

Dica #5: Mantenha o seu feed atualizado

As estratégias para fortalecer sua marca no digital só serão eficientes se forem atualizadas e constantes.

Se não houver regularidade ou identidade visual, por exemplo, fica difícil conquistar o engajamento de seus seguidores.

Manter posts falando sobre novos procedimentos estéticos para dermatologistas e cirurgiões plásticos, por exemplo, ou então odontologistas mostrando novos materiais para tratamentos dentários, tanto por vídeos quanto por imagens, são ótimas formas de manter o conteúdo atualizado.

Já, para manter uma constância, o ideal é criar um planejamento, sempre coerente com os seus objetivos. Se você precisa valorizar seu serviço, fale de seu conhecimento com relação aos procedimentos que oferece. Agora, se você deseja mostrar autoridade no assunto, registre suas especializações, caso dê cursos, divulgue-os, ou então disserte sobre técnicas e mitos relacionados à sua especialidade.

Já podemos dar os primeiros passos, não é mesmo? Comece agora a mesmo a trabalhar sua imagem pessoal, principalmente gravando vídeos!! Para isso, conte também com as orientações de vídeos em nosso ebook “Vídeos podem aumentar o lucro da sua clínica”, basta clicar no banner abaixo e fazer seu download!

ebook videos para divulgar sua clinica ou consultorio

 

Formada em Publicidade e Propaganda, integra o time de Marketing Digital da Agência GIP propondo o uso de uma comunicação relevante e não-interruptiva. Quando não está meditando, atua como revolucionária de normas de condomínio. Apaixonada por planejamento, acredita nele como uma parte fundamental do processo criativo.

Seria o pós-venda mais importante do que a própria venda?

O pós-venda é uma parte importante e fundamental para o sucesso de uma clínica ou consultório, assim como em qualquer empresa. Essa questão nunca deve ser deixada de lado e merece atenção tanto quanto a conclusão de um tratamento.

Além de criar e manter uma relação sólida e de confiança entre paciente e médico, o pós-venda também auxilia nos pontos fracos e fortes do seu consultório ou da sua clínica, tendo como base o feedback do paciente.

Um ponto importante para ter um bom retorno de seus clientes é o atendimento, desde o início até o fim do tratamento, para que eles se sintam “em casa” e satisfeitos com o serviço prestado. Além disso, é importante deixar claro para o seu consumidor como funcionará todo o tratamento. Por exemplo: se tiver etapas, deixe isso claro, para não gerar dúvidas e uma possível insatisfação durante o trabalho. A boa facilidade de comunicação com a sua clínica e uma assistência em caso de dúvidas ou imprevistos durante o atendimento é fundamental para o paciente se sentir bem atendido e satisfeito com o trabalho prestado por sua equipe.

Assim, podemos dizer que o pós-venda tem como objetivo principal manter o cliente satisfeito com o serviço prestado por sua clínica ou consultório e garantir uma boa relação de confiança com o seu público — por meio de um bom atendimento, um bom tratamento e solução para o problema daqueles que optaram pelo seu serviço.

Sua aplicação pode ser feita de várias maneiras, sendo uma delas, a pesquisa, que dá liberdade para o seu paciente falar sobre sua experiência com o seu consultório e seu nível de satisfação com toda a equipe, desde a venda até a finalização do serviço. Essa pesquisa pode ser feita com perguntas fechadas e também com perguntas abertas, para a pessoa deixar sua opinião. A forma mais rápida e mais usada é com perguntas fechadas, que é mais simples de ser respondida e não toma muito tempo do consumidor, sendo também mais fácil de tabular e com um resultado mais preciso.

Mas não é só isso! Além de saber a satisfação do cliente com o seu atendimento e serviço prestado, o pós-venda também ajuda e ver quais são os pontos fortes de sua clínica ou consultório e quais são os pontos que devem ser melhorados. Sem contar que ele permite também um melhor entrosamento de sua equipe, seja com informações sobre os clientes e até mesmo um melhor atendimento, ou então para mandar uma lembrança de aniversário ou saber como a pessoa está após um tratamento realizado.

Um ponto importante que também merece atenção e cuidado é saber como receber crítica. Se caso acontecer em algum feedback vindo de seus pacientes, é importante entender o problema que gerou a insatisfação e procurar sua origem, sempre procurando formas de minimizá-lo, para evitar uma outra crítica de um novo consumidor. Para isso, também é importante entender quais são as expectativas de seus clientes no início de tudo, na hora da venda.

Portanto, após receber um feedback positivo ou negativo, é importante dar um retorno — sem usar a emoção do momento —, respondendo com calma e atenção, para que, se for algo negativo, ele possa ver que foi uma crítica construtiva e que sua equipe vai procurar melhorar naquele ponto. É sempre importante agradecer a opinião do cliente e jamais evite uma crítica, mesmo que não concorde com ela.

O que acha? Será que o pós-venda da sua clínica ou consultório é bem estruturada?

Se você ficou interessado ou deseja tirar alguma dúvida sobre o seu marketing, entre em contato conosco!

24 anos, publicitária formada pela PUC Minas e Pós graduada em Gestão Marketing pelo IBMEC BH.
Atendimento e Tráfego na Agência GIP desde 2014.
Amante de esportes e Cruzeirense de coração.

Aprendendo com a Disney a arte do Storytelling

Vingadores: Guerra Infinita estreou no último mês nos cinemas do Brasil, e o que se viu foi uma enxurrada de espectadores para as salas de todo o país.

Mas não pense que foi à toa que o final de semana de estreia do filme bateu recordes por todo o mundo (incluindo o Brasil, onde foram arrecadados mais de 19 milhões de dólares). Além de um perfeito trabalho de marketing feito pelo estúdio ao longo dos anos (sim, anos!), a Marvel e a Disney possuem um currículo impecável sobre a arte do Storytelling.

Mas, afinal, o que é Storytelling?

Storytelling é uma ferramenta de marketing que, infelizmente, não é tão utilizada quanto deveria. Porém, a força dessa ferramenta é imensa, já que seu objetivo é fazer com que seu público se identifique com a história contada.

O Storytelling consiste em contar uma história para seu público. Dessa forma, ele se sente mais próximo de sua marca, produto ou serviço ao se identificar com dores e situações que façam parte da narrativa contada.

Podemos dizer que essa ferramenta tem por objetivo cativar seu público, persuadindo-o de maneira indireta ao fazê-lo sentir-se como parte da história. Porém, para que isso aconteça da maneira mais assertiva possível, é necessário que sua persona esteja muito bem alinhada com a realidade de sua clínica. Afinal, será sua persona quem irá nortear não somente sua campanha de Storytelling, mas também qualquer outra campanha de Marketing Digital que você porventura faça.

Como funciona o Storytelling

Para que o Storytelling seja, realmente, um Storytelling, é preciso que você

  • conte uma história (com início, meio e fim) que
  • envolva personagens (fictícios ou não) e que
  • tenha diálogos reais e um
  • conflito a ser resolvido (e que deve, necessariamente, ser resolvido até o fim da narrativa).

Ao unir todas essas ferramentas, você terá um Storytelling em suas mãos!

Você pode estar se perguntando: “espere aí, história, personagens, diálogos, conflitos… Isso é uma história comum, como qualquer outra!”.

E você está certíssimo!

O Storytelling tem como base a narrativa mas, para que seja um Storytelling como ferramenta de marketing, é necessário que você insira na narrativa elementos que evoquem seus produtos, serviços, marca, consultório ou especialidade (principalmente como resolução de conflitos) e também – mais importante ainda! – que a narrativa seja inserida no mundo da sua persona.

Isso quer dizer que essa narrativa deverá ter conflitos, diálogos e história que possam ser sentidas “na pele” pelo seu público ideal. Ele deve se sentir emocionalmente atingido por essa história.

E é aí que entram os grandes mestres do Storytelling: a Disney e a Marvel!

Disney e Storytelling: uma união incrível e duradoura

Não há ninguém nesse mundo que já não tenha assistido a alguma obra da Disney. Seja filme, desenho, seriado, não importa, todos nós já fomos, de alguma maneira, impactados por alguma de suas obras.

Porém, não basta ter assistido a algum de seus materiais sem ter lembrança, sem ter sentido algum tipo de apelo emocional durante a sessão. E essa é que é a principal ferramenta da Disney. Ela nos faz sofrer, chorar, sorrir e comemorar com seus protagonistas. E isso não é mero acaso. Por trás de cada obra há um estudo muito aprofundado de tendências de mercado e de comportamento do consumidor.

Pixar, uma fábrica de Storytelling

Quem nunca se emocionou com o menino Kevin, em Up! Altas aventuras? Ou mesmo com as grandes aventuras de Woody e seu fiel companheiro Buzz, de Toy Story?

Não há trabalho na Pixar que não seja baseado em práticas de Storytelling – e essa é a principal razão de qualquer de suas obras ser tão bem vista aos olhos de público e de crítica.

E não é pra menos! Podemos perceber isso em seus números de prêmios:

  • 19 Oscars
  • 8 Globos de Ouro
  • 11 Grammy Awards
  • Além de diversas outras premiações conquistadas!

Para te situar um pouco sobre essa empresa, a Pixar (Pixar Animation Studios) é um estúdio de animação que, após anos tendo com sua principal atividade o fornecimento de hardware e software para animação, fechou um contrato com a Disney para a produção de Toy Story. A Disney, por fim, adquiriu a empresa em 2006, tornando Steve Jobs seu principal acionista individual e o resto, como dizem, é lenda.

O Storytelling sempre esteve bastante enraizado em todas as produções feitas pela Pixar desde então, tanto que a Emma Coats, então Artista de Histórias da Pixar, publicou, em sua conta no Twitter, as 22 regras de Storytelling da Pixar:

  • Você admira um personagem mais pelas suas tentativas do que pelos seus acertos
  • Você deve ter em mente o que é interessante para você como público, e não como escritor. São duas coisas que podem ser muito diferentes.
  • O tema é muito importante, mas você não vai saber como é sua história até que a tenha finalizado. Agora reescreva.
  • […]
  • Em que seu personagem é bom ou está confortável? Desafie-o e descubra como ele lida com isso.
  • […]
  • Descarte a primeira coisa que vier à sua mente. E também a segunda, terceira, quarta, quinta… Tire o óbvio da sua frente, surpreenda-se!

(Para conferir todas as 22 regras, você pode acessar o texto na íntegra aqui.)

Essas são ótimas dicas a se seguir, e uma boa maneira de começar a colocar essas ideias em prática é começando a estruturar o plano de marketing de sua clínica. É daí que deve partir qualquer ação relacionada ao marketing digital!

Marvel e seus Vingadores em sua Guerra Infinita

A Marvel, assim como a Disney, já é “velha de guerra”. Ambas estão há décadas no mercado e sabem muito bem como atingir seu público da maneira correta.

Desde seus quadrinhos até suas mega produções cinematográficas, a Marvel sempre soube como balancear suas histórias, dando um toque de humanidade a cada um de seus heróis, de forma que o público se identificasse com cada um deles.

Podemos perceber isso na fraqueza de cada um deles, em suas histórias de amor, em suas tentativas e fracassos, em seus laços de amizade, e em muitas outras características.

O importante aqui é percebermos como, assim como a Disney e a Pixar fazem, nada é por acaso. Sempre há um motivo para que cada personagem aja de determinada forma.

Para qualquer pessoa que você fizer a pergunta “qual seu super-herói favorito?”, você terá uma resposta diferente. E, por esse mesmo motivo, cada herói enfrenta diferentes tipos de vilões, tem diferentes conflitos internos (ou externos) e tem determinados tipos de amizade. É o público quem dita tudo isso.

E, da mesma forma, é o público da sua clínica que deverá seguir de exemplo para sua próxima campanha de Storytelling – ou melhor, para qualquer campanha de Marketing Digital que será feita.

Todo sucesso de bilheteria que o novo filme da Disney/Marvel obteve não foi mero acaso. Foram anos de trabalho envolvendo, principalmente, o Marketing. Quem não quer ver o destino de seu herói favorito? O Storytelling é uma técnica bastante persuasiva, que trabalha o emocional das pessoas. E, quando a emoção está envolvida, o cérebro também está.

O Storytelling e o cérebro

Uma narrativa bem construída afeta o cérebro das pessoas de diferentes maneiras, e uma delas é por meio do acoplamento neural. Esse processo ativa algumas partes do cérebro, fazendo com que quem está assistindo ou ouvindo à sua história transforme-a em ideias e experiências próprias.

Além disso, graças a essa capacidade, as pessoas estarão muito mais suscetíveis a curtir, comentar e compartilhar seu conteúdo, uma vez que se identificarão com a história contada.

Outra ação que o Storytelling tem sobre o cérebro é a liberação de dopamina no sistema neurológico. Isso acontece devido a algum evento emocional que a pessoa esteja presenciando. Assim, a pessoa se lembrará desse evento com muito facilidade (devido à emoção presente) e, consequentemente, também se lembrará de você, dos seus serviços e do seu consultório. Histórias são 22 vezes mais memoráveis do que imagens ou fatos isolados.

Então, por onde começar a praticar o Storytelling

Como eu disse anteriormente, essa é uma ferramenta do Marketing. Por isso, quando trabalhada em conjunto com algumas outras, inclusive de Marketing Digital, seu resultado pode ser muito mais positivo.

Então é importante que, caso você não tenha expertise com construção de personas ou de campanhas interdisciplinares de Marketing, sugiro que busque ajuda de especialistas da área, que poderão te auxiliar imensamente durante todo o processo – além da possibilidade de se tornarem parceiros.

Ah! Quase ia me esquecendo de te avisar. A Pixar possui um curso (gratuito!) de Storytelling que é ministrado pelos próprios criadores do estúdio. Caso você tenha interesse, posso te dar mais informações sobre esse curso. É só deixar seu comentário aqui abaixo!

E então, vamos contar uma história?

Publicitário, especialista em Inbound Marketing e Produção de Conteúdo, integrante do time da Agência Gip.

Se misturar um bocado de números, um punhado de textos, alguns jogos de tabuleiros, três xícaras de café e uma playlist do Spotify e bater tudo num liquidificador, sou eu!

Marketing nas Redes Sociais com Orçamento Limitado

Você tem um orçamento de marketing?

O quanto desse valor você direciona para o marketing nas redes sociais?

De acordo com a Fuqua School of Business da Universidade de Duke, profissionais de marketing estão direcionando aproximadamente 10% do seu orçamento para redes sociais.

E, espera-se que 13,2% da média do orçamento de marketing seja direcionado para redes sociais nos próximos 12 meses.

Cada ação que você realiza nas mídias sociais deve ser dirigida por uma estratégia.

Muitas vezes, quando você está com o orçamento limitado, tomar decisões apropriadas sobre qual ponto do marketing nas redes sociais você precisa investir mais pode ser desafiador.

A principal questão não é o quanto você tem de orçamento e sim como você pretende gastá-lo.

Algumas marcas gastam milhões em marketing, enquanto outras gastam algumas centenas em dólares e incorporam métodos promocionais gratuitos.

As redes sociais evoluíram de serem plataformas onde você conhece novos amigos para se tornarem um centro de negócios – uma forma de promover a sua empresa e aumentar os rendimentos.

Quando você está com um orçamento apertado, é ainda mais importante gastar da forma correta.

Se você tem R$100 reiais para investir em marketing nas redes sociais, o que você investir irá determinar onde você irá chegar.

Para ser capaz de replicar o seu sucesso, ou saber quando parar de usar um canal ou tática em particular, você precisa documentar e medir os resultados da sua estratégia.

Uma pesquisa feita pelo Instituto de Marketing de Conteúdo, descobriu que marcas que registram suas estratégias de mídias sociais são mais confiantes e efetivas em atingir os seu objetivos.

Atualmente você investe dinheiro em marketing nas redes sociais? Qual é a sua experiência?

By Neil Patel

Como Usar o Poder da Emoção Para Melhorar o Marketing nas Mídias Sociais

Você sabia que podemos usar 10.000 variações faciais para expressar uma ampla variedade de emoções?
Os humanos são seres naturalmente emocionais. Eles gostam de sentir e, quando sentem, também gostam de compartilhar com amigos e família. E é por isso que as redes sociais progridem tanto.
Mas existem alguns tipos de posts que são compartilhados mais que outros. Em um estudo de 1,6 milhão de posts sociais orgânicos no Twitter, Facebook e Google+, o Social Flow descobriu que 99% dos posts recebem algo semelhante a zero em engajamento.
Mas alguns poucos se tornam virais rapidamente. A razão implícita é porque eles instigam o leitor a sentir uma emoção muito forte. Talvez esteja fazendo o seu público feliz, talvez triste ou até mesmo zangado.

A questão é que pessoas somente compartilham o seu conteúdo se ele tocar o emocional delas (e não o racional).

By Neil Patel

7 Estratégias de Marketing da Apple Que Você Deveria Aprender

Você já olhou para uma marca ou uma pessoa de muito sucesso – uma celebridade, por exemplo, ou, uma grande empresa – e se perguntou, “Como eles conseguem?“

A Apple é uma dessas marcas. Quase tudo o que lançam faz sucesso. A empresa teve um crescimento de receita quase sem comparação entre 2004 e 2014 — de $8 bilhões para $180 bilhões. Isso é impressionante.

Mas o sucesso da Apple não quer dizer apenas ganhar muito dinheiro, ou vender muitos produtos. Quantas empresas realmente mudaram as regras do jogo em seus nichos da forma como a Apple tem feito?

Além disso, a estratégia de marketing da Apple fez isso repetidas vezes, apesar do que os seus críticos têm a dizer. O iPod, o iPhone, o iPad… todos esses produtos praticamente revolucionaram os seus respectivos “espaços“ de mercado.

A Apple cria clientes evangelistas que esperam na fila por horas a fio somente para comprar a primeira edição de qualquer um de seus produtos no minuto em que são lançados.

A Apple faz tudo isso tão bem que há sites inteiros dedicados completamente aos produtos da Apple e sua estratégia de marketing. Até mesmo publicações jornalísticas de alto nível como o The Atlantic escrevem incansavelmente sobre a empresa, dissecando o que ela faz e como consegue.

A Apple vai além do rótulo de “marca de computadores“ — eles criam produtos que seus clientes acreditam que tornem a vida melhor, mais fácil, mais divertida e mais legal.

Como é que eles conseguem?

Bem, design e utilidade são apenas duas razões por trás do sucesso da empresa.

Mas, o mais importante para você e para mim, o segredo da Apple para transformar compradores casuais em embaixadores da marca pode ser aplicado a praticamente qualquer negócio, em qualquer nicho ou indústria.

Neste artigo, vou revelar sete pilares da mundialmente famosa estratégia de marketing da Apple que você poderá adaptar ao seu próprio negócio.

1. Repense Sua Necessidade de Publicidade
2. Evite Disputas Baseadas em Preço Enfatizando Sua Proposta Única de Valor
3. Mantenha Seu Marketing e Seus Produtos Simples
4. Conheça Seu Público-Alvo e Fale com Ele Usando Uma Linguagem Familiar
5. Planeje Uma Melhor Experiência do Usuário
6. Mire Nas Emoções do Seu Público-Alvo
7. Construa uma Comunidade de Usuários ou Clientes

Conclusão

Uma das formas mais rápidas de se atingir um a meta é seguir o exemplo de outros que já atingiram a mesma meta e foram bem-sucedidos.

A Apple é um exemplo para qualquer marca moderna e inteligente que deseja criar uma base de clientes defensores da marca e que também sejam super fiéis, recomendando a seus amigos e familiares.

A ideia não é copiar a Apple. Mas sim, ter uma noção de como a Apple – ou qualquer outra empresa de sucesso – obtém sucesso, e então encontrar formas criativas para se fazer o mesmo no seu negócio, sempre se mantendo consistente com a sua marca.

Você também pode aprender muito com a concorrência. Uma análise competitiva pode lhe dizer o que eles estão fazendo certo e o que você pode aprender e aplicar em seu próprio marketing.

Quais as outras lições você pode tirar das estratégias de marketing da Apple?

By Neil Patel